terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Nossas escolhas ...[*]

Engraçado como às vezes nem percebo que para tudo na vida eu tenho uma escolha.
E, então, passo a acreditar que posso ser mais do que sou e não mais o que fui..
Assim, eu posso mudar.
Mudar um pouco de mim. Mudar um pouco do mundo.

Há sempre uma escolha que você pode ter.
Mas, as minhas escolhas são sempre efeito do que faço.
E se um dia eu escolhi desligar a televisão e ir dormir...
E se um dia eu escolhi sair de casa e ir estudar com os amigos...
E se um dia eu escolhi discutir com alguém que se impunha...
E se um dia eu escolhi dar a mão a alguém que me pedia ajuda...
E se uma dia eu escolhi fazer algo que me dizem ser algo errado..
Eu percebi que foram dias onde as escolhas eram minhas.

Mas, será que escolho fazer tudo que quero? Eu tenho todas as opções do mundo?
Às vezes, é preciso 'ter' para poder 'ser'..
Eu posso dizer que cerveja é pior do que refrigerante sem nunca ter bebido os dois?
Eu posso escolher dizer a uma criança que o mar é perigoso sem ao memos ter conhecido o mar?
Eu sei que posso escolher. Eu sei que posso ser.
Mas, eu sei que eu preciso ter.
Eu sei que eu preciso ter o amor de alguém para ser alguém que dará amor...
Eu sei que preciso ter duas opções para escolher uma delas...

Mas, e se não depender de mim?
E se um Tsunami veio? Eu tinha escolha...
E se um meteoro caiu na terra? Eu tinha escolha...
Acredito que não..
Cada um contribui com um pouquinho de opção, com um pouco de ação, com um pouco da sua escolha..
Vivo diferentemente. Você vive diferentemente de mim.
Mas, no final, somos consequência de nós..
Eu vou criando minhas possibilidades,
E você me oferece novas oportunidades.

Jones Barreto
(...)

Criaram bebedouros separados na Carolina do Norte, em 1950. Custaria-lhe a vida se escolhesse o outro bebedouro.

Ele tem várias escolhas, mas lhe deram somente algumas opções...
Garotinha se recusou cumprimentar o presidente Figueiredo em plena Ditadura Militar Brasileira.

Mãe salva filho de afogamento. Mesmo sem saber nadar,  Maria escolheu atirar-se na água e tentar salvar seu filho. Os dois estão vivos hoje.
Ela decidiu ir até o final. Acredito que ela tinha alguém por quem valia a pena lutar.



sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

30 Seconds to Mars - Closer to the Edge



Este vídeo é de uma música chamada "Closer to the Edge", da banda de rock internacional "30 Seconds to Mars". 
Eu conheci esta banda há pouco tempo e este vídeo me chamou a atenção.
A música está legendada e eu acho que vale a pena vê-la toda.
A letra dela fez um sentido para mim e  estou compartilhando com vocês.
Na sua tradução, o nome da música é "Mais perto do Limite"
Um abraço.

(Jones Barreto)

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Há Destino na vida? [*]


Através destes versos, meio sem rimas e meio longos, é que vou dizer...

O que a vida me reserva?
Será a tranquilidade, a felicidade ou a angústia do caminho das trevas, da escuridão?
Ando procurando uma resposta para pergunta de uma palavra só:
Destino!?

Há quem acredite que ele exista.
Há quem se pergunta por ele.
Há também quem não sabe ao menos o que ele significa.

Vou dizer um segredo particular. Agora não mais secreto.
No Destino, eu não acredito. Sua palavra existe para mim, mas seu valor de predestinação, não!
Não acredito que nascemos com um propósito nem para um objetivo.

Acredito na história que se faz presente, se faz constantemente no momento agora.
Não desconsidero o futuro, pois dele preciso frequentemente.
Eu crio meu futuro. Sou responsável pelo meu amanhã.
Eu crio meus objetivos. Eu crio meus obstáculos.
Mas, também sou eu que os alcanço e luto para derrubá-los.

Se você está feliz com o seu trabalho, com a sua família, com seus amigos..
Se você, neste mundo, está feliz com seu dinheiro suado..
Se você tem um casa para morar e o que comer todos os dias...
Se você conheçeu alguém que lhe deixou alegre e lhe deu carinho...
Você acredita que é seu Destino?
Em algum momento, alguém reservou tudo isso para você?

Fico pensando nas crianças da África, morrendo de fome, desnutridas.
Morrendo, infectadas pelo vírus HIV..
Fico pensando nas pessoas que morrem devido ao câncer..
Fico pensando naquele índio que morreu queimado por jovens, na calçada de uma rua destas..
Fico pensando na mãe que vê seu filho ser assassinado na sua frente por alguém que rouba,
procurando o que comer.
Fico pensando naquelas pessoas que lutam para ganhar uma pequena quantia, enquanto outros poucos
ganham milhões e até sobra para colocar na cueca..
Fico pensando no marido que mata a esposa...

É esse o destino dessas pessoas? É justo?
Quer dizer que devo dizer às crianças que seus sonhos são bobagens, uma vez que seu destino já está traçado?
Está reservado isso para uns e aquilo para outros?
Qual é o critério?

Há aqueles que acreditam em Destino.
Conheço algumas pessoas que acreditam em Destino e eu as considero como pessoas geniais.
Conheço pessoas solidárias, felizes, de bem com a vida e que acreditam em Destino.

Portanto,
Não vou julgar e não vou criticar.
Mas, acredito piamente que Destino não existe.
Não acredito que a vida reservou um caminho de sofrimento para uns e a simples felicidade para outros.

Sou o que faço a cada dia, a cada minuto, a cada segundo.
E, assim, vou seguindo, seguindo e seguindo.
Acredito que 'eu' juntamente com este meu 'mundo' somos responsáveis pelo que somos
e pelo que tornaremos daqui pra frente.

Angustio-me às vezes por não ter respostas suficientes.

Mas, ao mesmo tempo me sinto bem em poder acreditar..
Acreditar que eu posso mudar.
Acreditar que posso escolher.
Escolher o que caminho que quero seguir. Vou levando deste modo.
Pois, assim, sei que posso "Ser".
Jones Barreto

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Escrita particular... [*]

Para que a escrita apareça,
é preciso muito mais do que um lápis ou um teclado cheio de botões.
Para que a escrita apareça, é preciso que algo apareça.
Que algo tão simples, mas que eu não conheça,
simplismente, permaneça.
A escrita é meio particular. Não se faz na hora que se quer,
E, às vezes, nem como se quer.
A escrita nasce de um momento, onde então surge o silêncio,
capaz de provocar até mesmo um sentimento.

Escrever, é um pouco de você.
De repente começa e você até se espanta.
As palavras vão surgindo, sem qualquer preparação.
Seja noite ou seja dia. Surgem e tomam forma,
Tornam-se uma melodia.

Estranhamente, as palavras vão se unindo.
desembaraçam e se entrelaçam. O motivo é apenas seu.
Uma lembrança, uma história, um barulho, um toque.
Aí você acorda. O momento acabou.
Sem perceber, você simplismente terminou.

Aí você entende que a escrita é meio particular.
Surge sem saber porque,
Vai embora sem você ao menos entender.
Por hora, você percebe que naquele instante,
você foi apenas você.
Jones Barreto

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Selos - indicação.

Acredito que entendi um pouco sobre o ato de compartilhar selos. São selos que gratificam, engrandecem e nos torna cada vez mais criativos. Isso, eu digo por experiência própria. Dessa forma, eu mesmo criei um selo e gostaria de indicá-lo a alguns Blogs, que com seus escritos me fizeram ver um pouco mais além do que via antes. Resumindo, fizeram-me crescer. Mas poderei indicar a outros Blogs mais adiante. Espero que entendam.

Os Blogs que indico neste momento são:

#"Sabor da Letra" 

#"Algo mais..."

O meu obrigado pela contribuição até agora...

Selos.

Bem, começo dizendo que até poucos dias atrás eu não sabia desses selos. 
Durante este tempo que venho construindo meu Blog , eu visitei muito pouco outros blogs, por desconhecimento ou mesmo por falta de exploração. Mas, há poucos dias, conheci  pessoas que podem me mostrar assuntos e escritos muito interessantes. Assim, percebi o quanto conhecer novos blogs me enriquecem e me ajudam a crescer.
Para minha surpresa, recebi dois destes selos do Blog: "Algo Mais..."

Esses selos têm significado grande para mim. Colocou-me numa nova etapa. Em uma evolução.
não conheço muito bem como é a troca de selos, mas sei que indicarei a alguns blogs. À medida em que conhecer, indicarei.
Obrigado!

Liberdade controlada [*]

Liberdade é um pouco de cada coisa.
De ir aonde quer, de escrever o que quizer,
de dizer o que pensar, de voluntariamente calar.

Liberdade é um pouco disso.
um pouco de silêncio, um pouco de conversa,, um pouco de conhecimento.
Afinal, eu sou puramente livre?
Eu sempre faço o que quero, na hora que quero, sem niguém se importar?
Eu vou aonde quero, da maneira como eu quero, sem ninguém se importar?

Liberdade é um pouco de cada coisa.
um pouco de mim, um pouco de ti.
um pouco de nós.
Liberdade é sensação. Liberdade é democracia.
É ausência de coerção.

Liberdade é um pouco disso.
Há pessoas livres.
Livres da perseguição. Livres da discriminação.

Liberdade depende do mundo. Do mundo que se vive,  do mundo onde se vive.
Liberdade é um pouco de cada coisa. É prisão com um pouco de liberdade.
Liberdade com leis.Leis que nos deixam livres. Livres da bagunça. Livres da confusão.

Apesar de toda esta prisão, cada um pode ter a sensação.
A sensação de ser livre.

Ser livre é um pouco de você, com um pouco de mim.
E ser você é ser intensamente livre.
Jones Barreto

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Eu fiz o Bem ou o Mal à você ? [*]


Em primeiro lugar, as cores da foto ao lado são apenas uma ilustração, uma mera figura. Branco e preto não são respectivamente bem e mal. Dessa forma, gostaria de iniciar com algumas peguntas do tipo: "O que é o Mal?", "O que é ser Mal?" ou "Oque é o Bem?" etc. Confesso que não possuo respostas convincentes, mas acredito em algumas concepções. Então, eu percebi que eles - bem e mal - andam lado a lado, um confirmando o outro e este outro negando aquele um. Para algo ser bom para alguém, necessita ser mal para outro. Assim, bem e mal se produzem ao mesmo tempo em que se destroem. 
Certo dia pensei estar fazendo o bem para determinada pessoa, mas estava enganado. Ela me disse que alquilo era um mal para ela. Da mesma forma, encontrei um outro alguém que me disse que eu fizera muito bem para ela - com a mesma atitude. Assim, depois de um tempo cheguei a conclusão de que o bem e o mal estão dentro de cada um de nós. O Mal que eu julgo ser mal pode ser o Bem que julgo ser bem. Portanto, acredito que dependerá do ponto de vista de quem vê, sente, escuta, fala ou silencia. 
O ser humano é alguém naturalmente hedonista: busca intensamente o prazer, evitando os males. Entretanto, esses vários prazeres e males são particulares, cada um busca, produz ou sente de maneira singular.
Mesmo acreditando neste "juízo de valor", não deixarei de dizer especialmente de alguns "Males"que circulam no meu dia-a-dia. Digo e afirmo que um assassinato, uma agressão (seja ela das suas várias formas) é o Mal. É um 'Mal" a ser combatido, pois costumamente fere pessoas de modo físico ou psicológico. Cabe às pessoas, então, decidirem, julgaram e regulamentarem. É preciso uma direção, um caminho. E, assim, leis são tão importantes quanto pensava.
Durante algum tempo, fiquei frequentemente pensando se eu farei o Bem ou  mesmo o Mal à alguém... Mas, com o tempo as coisas foram se tornando naturais e menos angustiantes. Na medida em que percebi que quando eu faço o bem, posso também fazer o mal para outro, eu me senti melhor. Pois, assim como somos diferentes, sentimos coisas diferentes. 
Não quero mostrar a verdade aqui, porque não a possuo. Pretendo apenas expulsar algo que eu precisava dizer.
Afinal, não há como agradar a todos! Jones Barreto

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

As pessoas se completam ou se somam? [*]

Há pessoas que acreditam que outras lhe completam, assim como há pessoas que acreditam que as pessoas se somam. Acredito que o importante é acreditar no que lhes faz bem. Eu acredito que completando ou somando, a qualidade do encontro entre duas pessoas tem significado maior. A qualidade de uma conversa, de um gesto, de um carinho etc. Acredito que, completando ou somando, o que vale no final das contas é ser feliz. Jones Barreto (refletindo "Você completa alguém?" Algo Mais... )

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

República proclamada.

Outrora, no Rio de Janeiro (privilegiada por ser capital do Brasil), nesta mesma data de hoje: dia 15 de novembro (estava marcado para o dia 20, mas a galera estava apressada), num dia mais ou menos ensolarado, com uma leve ventania e na iminência de chover, há mais ou menos 221 anos, um grupo de militares do exército brasileiro, liderado por certo homem experiente e aparentemente esperto, mas que muitos dizem estar doente, com Dispneia e  (costumamente denominado Marechal Deodoro da Fonseca), deu um mais ou menos maquiavélico golpe de estado, sem o uso de violência (e isso pode ser o maior marco da história: sem o uso da violência!!), depondo o até então Imperador, chefe e soberano do Brasil "Dom Pedro II" e o presidente do Conselho de Ministros do Império, o Visconde de Ouro Preto. Assim, o Marechal assinou um certo manifesto, proclamando a República no Brasil e instalando um governo provisório. A partir de então, "meu Brasil brasileiro" seria governado por um presidente escolhido pelo povo através das eleições.
Mas, apenas por curiosidade, os dois depostos, um pouco teimosos, só saíram do Brasil rumo à Europa no dia 18 de novembro...

"(...)Se é mister que de peitos valentes
Haja sangue em nosso pendão,
Sangue vivo do herói Tiradentes
Batizou este audaz pavilhão!
Mensageiros de paz, paz queremos,
É de amor nossa força e poder
Mas da guerra nos transes supremos
Heis de ver-nos lutar e vencer!

Liberdade! Liberdade!
Abre as asas sobre nós!
Das lutas na tempestade
Dá que ouçamos tua voz!
(...)

(Trecho do Hino da República)

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Saber perder. [*]

Acreditou-se tanto em algo que gostaria que ocorresse e, por acontecimento e movimento natural da história, acabou por não ocorrer. A fuga foi remoer e criticar. Julgar. Mas, como fica o que realmente aconteceu? Fingir que nada ocorreu? Costumamente, desliga-se um sofrimento que  frequentemente costuma rondar, mas nada se pode fazer para que fatos deixem de existir. Assim, se não foi do jeito que quis, será que posso ajudar para assim ajudar a melhorar? Com a história fui percebendo. Importante saber perder e saber lidar com as ferramentes que se têm. O tempo passa e nada se aproveita como se queria por ficar remoendo. Jones Barreto

sábado, 23 de outubro de 2010

As pernas da vida. [*]

"A vida é um mundo dotado de várias pernas. A qualquer momento poderemos levar uma rasteira." hehe! Jones barreto

sábado, 28 de agosto de 2010

Meu tempo pra conhecer [*]

Às vezes deixo passar despercebido pequenas simples coisas. Pequenas no tamanho, simples no meu modo de ver. Mas, e se eu tirasse um tempinho pra ao menos tentar ver mais de perto o que não costumo olhar? Há tanta coisa ao nosso redor. Um dia, quem sabe, posso perceber. E romper com aquilo que em algumas vezes não me deixa ver - O inimigo dos meus olhos: o "pré - conceito", com quem luto a cada dia. Uma luta de cada dia. Uma conversa a cada dia. Os dias vão passando e percebo minha evolução. Muitos param pra poder ver, enquanto muitos não abrem os olhos. Mas, é preciso trabalhar. Quem está certo ou errado? Acho que não sou eu que vou dizer. Mas, continuo andando por aí, arriscando perceber. Ouvindo mesmo sem querer. Mas, todo dia alguém lhe faz perceber e te para pra conhecer. E, repentinamente, dou-me conta do quanto posso ver: o quanto as pessoas são legais, simples, bonitas ou até mesmo consigo perceber o quanto são tão sinceras. Tudo isso no meu modo de ver. Quem é melhor ou pior? Acho que isso eu não consigo responder. Cada um tem seu lado bom da vida. Cada um tem seu jeito de ser. Só não concordo se você for ferir. Enquanto isso, vou por aí, simplismente caminhado como costumo ir. Deixando um tempo para o desconhecido. Eu não tenho. Eu quero parar pra conhecer. Jones Barreto

domingo, 15 de agosto de 2010

O desafio de ser vento.[*]

Aonde será que ele vai? Será que um dia ele para? Sem mesmo com uma proposta de seguir, o vento sem perceber, atravessa sem medo. Leva, traz. Faz voar, faz cair. Ele não sabe se vai encontrar, mas nunca para de imaginar o lugar onde irá chegar.
Não tem saída, não tem certeza. Qualquer caminho que seja ou mesmo que apareça, é mais uma estrada sem rumo. Não há como deduzir. Por mais que apontem seu rumo, por mais que tentem pará-lo, não há como desistir. Será sempre seu futuro. Viajar pelo mundo, sem saber o que fazer e nem mesmo o que conduzir. Num vagar quase calado, ele não para para pensar e nem pensa quando parar. Será sempre seu futuro. Caminhar sem ter aonde ir, pois estará em todo lugar. É como se vivesse sempre no presente. Um presente que se transforma em passado, mas com um futuro que se transforma e permanece presente. Ser vento. Alguém essencial para viver, mas que por incontrolável força, ajuda a falecer. Parar sempre será seu desafio.
Mas, quem sabe um dia, a qualquer hora do dia, encontre uma saída, consiga decidir aquilo que quer da vida. Terá outra liberdade, uma estranha liberdade de poder parar. O problema de ser vento é que, se a partir daí, ele parar pra descansar e voltar a pensar, que o mundo não quer outra coisa dele, a não ser que ele, simplismente, seja sempre ele. Que dá  ao mundo sempre a vida, mas que por ser apenas ele, será sempre um vento sem saída. Jones Barreto

domingo, 1 de agosto de 2010

Além do que se vê.[*]

Provoque com teu olhar,
mas não feche os olhos para aquilo que te assusta.
Lute para não escurecer contra a tua vontade.
Veja, sinta, perceba.

A vida quer apenas te mostrar. Basta querer ver.

Só há uma chance para ver o mundo com os olhos teus.
O calor da manhã, o frio da noite.
Não exite em olhar. Não deixe nada escapar.

Há muito mais ao teu redor.
Não há nada que não possa ver. Basta querer ver.

O céu de todo dia, a gota de chuva de cada dia.
A folha verde da árvore negra, o prédio branco do outro lado da rua.
A formiga que tenta subir. Com trabalho volta a descer.
O voar de alguém que não se cansa,
até encontrar o que se pretende alcançar.

O mundo numa pequena tela particular.
Seja escuro, azul ou verde.
É capaz de fazer sorrir, mas também de fazer chorar.

Não exite em olhar.
O mundo quer apenas te mostrar.
Basta querer ver.

Num momento entendi,
Que posso perceber.
Muito mais.
Além do que se vê.
Jones Barreto

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Imaginação de mim[*]

De forma constante, sou um eu do outro,
sou um eu seu, sou um eu não-eu.

Em muitos instantes, sou o alguém com emprego ruim,
com caminho sem rumo e futuro distante.
Assim, um pouco da sua imaginação de mim.

Ontem, fui um eu chato, um eu seu,
e um eu tão fraco.
Mas, um pouco da sua imaginação de mim.

Percebo que sou um eu: seu-meu,
que faz sempre para ser um eu-eu.

Sou um eu meu, eu.
No passado, fui. No presente, sou. Eternamente, presente.
Portanto, estou sendo.
Lendo, escrevendo, movimentando.
Sendo, naturalmente, a interação: eu-você.
Construindo o que estou sendo.


Entretanto, serei qualquer coisa que você quizer.
A angústia sua, o desejo seu,
a palavra sua, o medo seu.
Será que o erro foi meu?

Posso até estar sendo muito do que pensa.
Mas, estou sendo eu.
Alegre, triste, carinhoso, raivoso e até louco.
Serei o estado seu ou meu?

O interessante é conhecer...
O quanto às vezes sou um eu criado por você.
Tão mau e ruim.
Mas, muito da sua imaginação de mim.
Jones Barreto

sábado, 19 de junho de 2010

Capacidade[*]

     Muitas vezes busquei ser muito mais do que eu pensava ser. Algumas vezes, cheguei lá. Outras, fiquei perdido. É durante essa busca que percebo que posso ser bem mais do que penso que sou capaz. E a diferença, não está no porquê você fez, mas no como você se ajudou e como você foi capaz de alegrar alguém. O significado disso tudo é que todas nossas diferenças são as que fazem a diferença. É gratificante saber que, mesmo com toda a simplicidade, é possível criar um sorriso no rosto daquele que, às vezes, só tem o silêncio como amigo.
Jones Barreto

domingo, 2 de maio de 2010

É fácil.[*]

"Fácil é olhar para as pessoas e dizer o que elas aparentam ser. Fácil é sentir inveja e tantar derrubá-las. Fácil é espalhar boatos do que você supõe que seja. Fácil é enganá-las e tão mais fácil é tentar subestimá-las. O impossível mesmo é ser igual a elas." Jones Barreto

sábado, 3 de abril de 2010

Antoine de Saint-Exupéry

"Desta vida nada se leva. A não ser a vida que se leva. Só se deixa. Então, deixo-te o meu melhor... Meu melhor sorriso, meu maior abraço, minha melhor história, minha melhor intenção. Toda minha compreensão e do meu amor, a maior porção."

"Cada um que passa em nossa vida, passa sozinho, pois cada pessoa é única e nenhuma substitui outra. Cada um que passa em nossa vida, passa sozinho, mas não vai só nem nos deixa sós. Leva um pouco de nós mesmos, deixa um pouco de si mesmo. Há os que levam muito, mas há os que não levam nada. Essa é a maior responsabilidade de nossa vida e a prova de que duas almas não se encontram ao acaso. "

domingo, 21 de fevereiro de 2010

somos irmãos.

"A vida é uma linha de contradições que vive oscilando de acordo com as escolhas que tomamos, e a dúvida é um fator extremamente necessário para uma escolha bem feita! E sempre é possivel obter um cresimento pessoal sustentável sem prejudicar o próximo. Vivemos pedindo um mundo melhor e mais digno para todos, onde fatores como a desigualdade e a injustiça sejam dissipados e exonerados de nossa sociedade. Mais o que muitos não percebem é que a mudança em primeira mão deve ser endógena. E não adianta tentar persuadir ou concientizar, se no subconciente de cada um não se cultiva o real desejo de mudança. A fraternidade é a unica salvação da humanidade uma vez que todos estamos em busca do mesmo ideal: "A felicidade" !!! E não nos esqueçamos que todos somos irmãos! E esse laço deve transceder os pradrões consumistas que nos são impostos por instituições humanas que de nada valem a não ser para alienar a pessoas."
(Ian Diego)

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Curiosa vida[*]

É curioso como a vida é feita não só do sol do dia, mas também do escurão da noite. É curioso como olho para o céu em busca da lua até mesmo quando o sol me ofusca. É curioso perguntar-me por que, às vezes, pareço sentir tão só, enquanto pessoas me rodeia. É curioso dizer que está tudo em silêncio, enquanto a terra grita. É curioso ter a sensação de que o tempo passou mais rápido hoje. É curioso o porquê  por querer escutar uma música nova a cada dia e não se contentar com a mesma. É curioso querer parar pra pensar se posso pensar em movimento. É curioso o sentimento mais forte por alguns do que por outros. É curioso ver bondade por intuição. É curioso sentir saudade. É curioso querer a  presença de alguém. É curioso pensar no amanhã, mas o amanhã será, naquele momento, o hoje. É curioso como tenho tanto medo, que nele me perco e fico preso. É tão curioso exigir tanto do outro, quando nem mesmo sei o que fazer. É tão curioso ficar horas aqui escrevendo e nunca ter um ponto final. É tão curioso ver o que fiz e dizer que foi sem pensar. É tão curioso, que a curiosidade nos invade e nos domina. É tão curioso querer cometer uma loucura se a loucura é um julgamento das pessoas. É tão curioso projetarmos no outro os nossos defeitos. É tão curioso dizer que perdeu uma festa, pois resolveu ficar em casa, mesmo quando não se pode fazer duas coisas ao mesmo tempo. É tão curioso sentir-se mal quando quer fazer algo que senti que não dará certo. É tão curioso como as palavras nunca acabam, mas não se consegue dizê-las. É tão curioso sentir-me mais forte na presença de alguns. É tão curioso acreditar e sentir que aquilo vai acontecer. É tão curioso perguntar-me o como é bom estar com alguém que me quer bem. O como é bom ver um belo sorriso, o como é bom dar risadas e quão bom é fazer alguém sorrir. Mas, o que não é curioso é saber que um dia tudo isso se vai e a consciência que se tem disso tudo é necessária para não se angustiar. O que não é curioso é que o outro lado da moeda deve ser respeitado. O que não é curioso é o quanto queremos só para nós o que pertence a todos nós. É tão curioso o quanto escrever proporciona uma liberação de  angústia e sofrimento. É tão mais curioso o quanto a curiosidade nunca acaba. Mas, não é curioso, eu saber que tão mais feliz é ao menos tentar fazer aguém feliz todos os dias. Jones Barreto

Visitantes Online