domingo, 16 de dezembro de 2012

À vocês,

"Não escolhemos tudo aquilo que nos é apresentado na trajetória de nossas vidas, mas temos de escolher se aquilo permanecerá, se continuaremos a cativá-lo, se nos relacionaremos intensamente próximos ou se simplesmente o ignoraremos. Podemos nos fechar para tal ou nos permitir estar abertos para a experiência de realizar um contato que pode ser grandioso, intenso, prazeroso e constituintes de sentidos. Nesse contato, compartilhamos dezenas de coisas, aprendemos muito, mas também ensinamos. Esse contato, genuíno, verdadeiro, muda-nos, torna-nos diferentes e, assim, vai mudando, vai construindo a nossa história.
Refiro-me a elas, às pessoas e tudo aquilo que são capazes de proporcionar nesse contato. E às pessoas agradeço pela oportunidade!
Ao lembrar daqueles momentos, fico contente de saber que os conheci. Agradeço a vocês. Agradeço pelo convite, pelo acolhimento, pelas aprendizagens, pela amizade.
Mudamos. Nós nos tornamos pessoas diferentes e isso faz toda a diferença hoje."

(Jones Barreto Corrêa)
*Texto escrito aos colegas de faculdade, mas com certeza faz-me lembrar de muitos amigos.

Inteiras

"Quem sabe se pararmos para perguntar quem elas são, quem sabe se procurarmos, não o 'por quê?', mas como elas vivem e como elas estão, assim, caminhando junto a elas, com paciência e respeito, talvez possamos tocá-las por inteiro. Estas, quando sentem, não sentem pela metade, na superfície ou de qualquer forma. Elas não sentem nem dentro nem fora. Elas sentem 'tudo' e sentem assim, não porque podem sentir muitas coisas, mas porque são pessoas e pessoas, como elas, são inteiras".

(Jones Barreto Corrêa)

Visitantes Online