domingo, 22 de maio de 2011

Sensação














Calor, medo, frio, dúvida, grande confusão...
Delírio, atordoamento, um pouco de ilusão...
Terror, perversidade, quase alucinação...
Inquietude, febre, amor, menos aversão...
Malandragem, angústia, muita tensão...
Cansaço, correria, dor, percepção...
Desejo, fetiche, fantasias...
É muita sensação...

Quando tudo isso paira sobre alguém,
Como se cura?
O que se faz?
Talvez, eu não queira cura.
Nem mesmo me encher de remédio.

Quero vontade.
Quero fome.
Quero algo que seja de dentro.
Quero verdade.
Quero, simplismente, 
Sentimento...


(Jones Barreto)

quinta-feira, 19 de maio de 2011

De olhos fechados

"De olhos fechados, buscarei te ver.
Irei me abrir, para tentar me aproximar.
Escutarei, sem buscar te explicar.
Uma verdade que é tua.
Vamos conversar. Uma vida que é tua.
Compreender. Escolher. Vivenciar. Desejar...
Sentir...
VamoSER..."

(Jones Barreto)

quarta-feira, 18 de maio de 2011

NÃO à violência sexual!


 Diga NÃO à violencia, ao abuso e à exploração sexual!
Vamos lutar pelas crianças e pelos adolescentes!

Violência aprisiona!
Quem negligencia também violenta!

Faça Bonito!
Denuncie.

Luta Antimanicomial !

Quem não tem uma loucurinha lá no fundo que desperta de vez em quando?

Eu sou um pirado pela vida!
E fico malucão quando tenho alguns problemas para resolver!
 Sou um doidão que anda pela rua sem que ninguém fale... HAHA!
E por que eles é que vão ser julgados e trancados em hospícios, manicômios ou hospitais psiquiátricos...
Neste momento, muitos estão sendo maltratados e aprisionados, piorando e falecendo.

E você, o que me diz?



Eu digo uma coisa...
Respeito às diferenças!
Todo mundo gosta, mas poucos o fazem..
Afinal, 
Visto bem de perto, quem é que é normal?


(Jones Barreto)

domingo, 15 de maio de 2011


 "O  pão preparado com amargura satizfaz somente a metade da fome."


(Khalil Gibran, citado por Raquel Amarante)

Permitir escutar.

Talvez, 
Eu não tenha a resposta que mudará o seu caminho
ou lhe tornará uma pessoa melhor. 
Mas, buscarei ouvir-lhe com toda a minha atenção e sensibilidade.

Sentindo raiva ou expressando seu ódio,
Estarei logo ao seu lado.
Ouvindo o que tem pra dizer.

Permitirei-me ouvir, sem julgamentos, cada palavra ou gesto que a mim dirijir.
Permitirei-me lhe ajudar, sem a minha vida eu misturar.
Não vou mentir.
Mas, se preciso, omitir.
E, assim, caso você me permita,
eu responderei.
Sem truques ou mentiras.
 Que as palavras sinceras serão as sempre ditas.
Daqui pra frente, então,
meu acordo será este:
Caso queria conversar,
Vou me permitir.
Irei sempre lhe escutar.


(Jones Barreto)

sábado, 14 de maio de 2011

"Não se trata de saber por que somos livres,
Mas sim, de encontrarmos os caminhos da liberdade".

(Jean-Paul Sartre)

Meu-Caminho.

Um dia, o mundo "tomou conta" de mim.
Fez-me fantoche,
Que mais parecia um brinquedo.
Fez-me boneco.
Que mais parecia um chaveiro.

Não sabia de muita coisa.
Pouca coisa eu conhecia.
Muita gente desconhecia.
Com cordas pequenas e pernas curtas fui um quase-ninguém.

Mesmo bem devagar,  eu caí.
Mesmo falando, calei.
Um dia, porém, gritei.
Fui me tornando um menos-ninguém.

Meu caminho fui construindo e nele fui seguindo.
 Às vezes, eu me perdi.
Outras, arriscando, feliz segui.
Pessoas me ajudaram
Algumas outras me ensinaram.
Outras, porém, derrubaram.
Fui me tornando um não-ninguém.

O que de melhor aprendi
é que posso ser livre.
Livre para escolher o meu caminho.
Por mais pedras que encontre,
Posso ser livre para escolher quem me tornarei.

Hoje,
Não sei tudo de mim.
Mas, sei muito das coisas que quero.
Sei muito das pessoas que amo.
Sei muito da pessoa que sou.
É o meu caminho.
Pode ser confuso e indeciso.
Talvez, contente e tranquilo.
Pode ser Tudo!
Ou talvez nada!
O Meu-caminho depende de mim.


(Jones Barreto)

segunda-feira, 2 de maio de 2011

(Des)Humanização.

Há coisas na minha vida que me chama muita a atenção.
Quando você se dá conta...
Alguns chamam isso de paradoxo,
Outros, talvez, de preconceito,
Outros ainda de discriminação.

Não se pode fazer da atitude de uns o julgamento de todos. 
Há pessoas e há pessoas. A diferença é um pouco sutil. Não julgo. Não deprecio. Gosto de animais e os trato muito bem. São seres que me fazem um bem imenso. E como gosto deles! Admiro canis que tratam cachorros que andam pelas ruas. Mas, o que me assusta é o que fazem com os seres humanos. O que me espanta e frequentemente me faz indignar é o que fazem com eles. Ou, muitas vezes, o que não fazem para eles.

O que passei a chamar de desumanização.
Coisa que não deveria acontecer de modo algum.
Mas, não fazem com animais.
E são os humanos que sofrem mais.
Fazem de um animal um ser humano
e do ser humano um "animal".
Melhor dizendo,
Com o ser humano fazem coisas muito piores.

Visitantes Online