terça-feira, 29 de março de 2011

sexta-feira, 25 de março de 2011

Um simples "Bom Dia".[*]


Naquele dia, parecia o pior dia do mundo.
Não havia sol e nuvem aparecia.
Começava-se o dia. Era plena segunda-feira.
E a rua, assim, de gente enchia..

De repente, no ponto de ônibus eu parei.
A confusão era certa. Uma chuva parecia estar por vir.
Lá bem no fundo do ônibus alguém aos prantos chorava.
Foi, então, que senti.

Que eu não posso salvar o mundo assim simplismente.
Contar uma história e querer que sejam felizes para sempre.

Mas, eu posso, apesar de tudo,
No mais trágico do dia..
Escutando a mais triste melodia..
Fazer alguém sorrir.
Com um simples,
mas sincero desejo de "Bom Dia..."

(Jones Barreto)

quarta-feira, 23 de março de 2011

O Encontro. [*]

"De repente, ela se fez ausente.
Surgiu sem ninguém ver.
Foi embora sem ninguém entender.

Mas, isso não não faz mal algum.
Simplismente não importa.
 

Foi um encontro simples,
de duas palavras e meia.


Lentamente veio.
Rapidamente foi embora.
Mas, deixou-me algo.

Deixou um pouquinho dela
E levou um pouquinho de mim.
Assim, ela se fez presente. Tornou-se especial.
Fez-se presente em nós. Fez-se presente em mim."

Jones Barreto

sábado, 19 de março de 2011

Qual a coisa mais "fina" do mundo?

"Minha mãe achava o estudo a coisa mais "fina" do mundo.
Não, não é.
A coisa mais fina do mundo é o sentimento."
(Adélia Prado)


Não venho dizer que eu não seja capaz de sentir ou coisa parecida, mas uma simples palavra foi capaz de me provocar dúvidas...

Talvez muitos tenham a sensação de viver num momento onde o mundo pede socorro. São furações, "tsunames", enchentes, terremotos, assassinatos, mortes, corrupções, autoritarismos, explosões, brigas, crises... E talvez a lista não pare...
Temos, talvez, a sensação de termos milhões de cientistas criando diriamente as mais magníficas tecnologias com as suas centenas de milhares de utilidades...
Temos, tavez, meios e modos de criar e recriar tudo a favor do homem.
Mas, mesmo assim ele parece pedir socorro...

Assim....
O sentimento talvez não me traga mais dúvidas...
Talvez ele seja a "dúvida"...
a dúvida de que precisamos.
e que, talvez, precisamos valorizar...

Talvez experimentamos o sentimento do nosso seu modo, da nossa maneira e o guardamos num baú bem velho...
Assim, ninguém nunca ouvirá dizer, falar ou compartilhar aquilo que só você sentia..

Poderão ouvir seu nome ou mesmo dar um nome.
Então, talvez falte falar.
Falar do que se tem por dentro.

Talvez, o mundo precise disto.
Falar do sentimento que se sente.
De um pouco mais daquele sentimento refinado que muitos tem para oferecer...

Talvez, descobrir o que se tem realmente por dentro pareça tão valioso quanto se imagina.
E me parece que ajudar isso acontecer também pode fazer a diferença em muita gente.

O sentimento parece tão valioso que ninguém pode roubar a sua experiência de sentir.
De sentir algo por alguém ou por qualquer coisa do mundo.
De perceber um sentimento em alguém.
De recebê-lo de alguém...
De compartilhá-lo com alguém...
De dar, talvez, a coisa mais "fina" do mundo.

Ele pode fazer a diferença até vindo de alguém que eu costumamente considerava como apenas um enfeite.

Jones Barreto

quarta-feira, 9 de março de 2011

O que tenho a dizer.[*]

Escutam com frequência palavras a meu respeito e, às vezes, nem ligam para o que eu mesmo tenho a dizer a meu respeito. Não que não seja bom ter referências e indicações, pois isso é legal, gratifica. Mas, às vezes, perdem-se no parece ser ou no suponho que seja. Assim, acabam por se esquecerem de me perguntar e ver o que faço, para me tornar o que sou.
Jones Barreto




Visitantes Online