sábado, 28 de agosto de 2010

Meu tempo pra conhecer [*]

Às vezes deixo passar despercebido pequenas simples coisas. Pequenas no tamanho, simples no meu modo de ver. Mas, e se eu tirasse um tempinho pra ao menos tentar ver mais de perto o que não costumo olhar? Há tanta coisa ao nosso redor. Um dia, quem sabe, posso perceber. E romper com aquilo que em algumas vezes não me deixa ver - O inimigo dos meus olhos: o "pré - conceito", com quem luto a cada dia. Uma luta de cada dia. Uma conversa a cada dia. Os dias vão passando e percebo minha evolução. Muitos param pra poder ver, enquanto muitos não abrem os olhos. Mas, é preciso trabalhar. Quem está certo ou errado? Acho que não sou eu que vou dizer. Mas, continuo andando por aí, arriscando perceber. Ouvindo mesmo sem querer. Mas, todo dia alguém lhe faz perceber e te para pra conhecer. E, repentinamente, dou-me conta do quanto posso ver: o quanto as pessoas são legais, simples, bonitas ou até mesmo consigo perceber o quanto são tão sinceras. Tudo isso no meu modo de ver. Quem é melhor ou pior? Acho que isso eu não consigo responder. Cada um tem seu lado bom da vida. Cada um tem seu jeito de ser. Só não concordo se você for ferir. Enquanto isso, vou por aí, simplismente caminhado como costumo ir. Deixando um tempo para o desconhecido. Eu não tenho. Eu quero parar pra conhecer. Jones Barreto

domingo, 15 de agosto de 2010

O desafio de ser vento.[*]

Aonde será que ele vai? Será que um dia ele para? Sem mesmo com uma proposta de seguir, o vento sem perceber, atravessa sem medo. Leva, traz. Faz voar, faz cair. Ele não sabe se vai encontrar, mas nunca para de imaginar o lugar onde irá chegar.
Não tem saída, não tem certeza. Qualquer caminho que seja ou mesmo que apareça, é mais uma estrada sem rumo. Não há como deduzir. Por mais que apontem seu rumo, por mais que tentem pará-lo, não há como desistir. Será sempre seu futuro. Viajar pelo mundo, sem saber o que fazer e nem mesmo o que conduzir. Num vagar quase calado, ele não para para pensar e nem pensa quando parar. Será sempre seu futuro. Caminhar sem ter aonde ir, pois estará em todo lugar. É como se vivesse sempre no presente. Um presente que se transforma em passado, mas com um futuro que se transforma e permanece presente. Ser vento. Alguém essencial para viver, mas que por incontrolável força, ajuda a falecer. Parar sempre será seu desafio.
Mas, quem sabe um dia, a qualquer hora do dia, encontre uma saída, consiga decidir aquilo que quer da vida. Terá outra liberdade, uma estranha liberdade de poder parar. O problema de ser vento é que, se a partir daí, ele parar pra descansar e voltar a pensar, que o mundo não quer outra coisa dele, a não ser que ele, simplismente, seja sempre ele. Que dá  ao mundo sempre a vida, mas que por ser apenas ele, será sempre um vento sem saída. Jones Barreto

domingo, 1 de agosto de 2010

Além do que se vê.[*]

Provoque com teu olhar,
mas não feche os olhos para aquilo que te assusta.
Lute para não escurecer contra a tua vontade.
Veja, sinta, perceba.

A vida quer apenas te mostrar. Basta querer ver.

Só há uma chance para ver o mundo com os olhos teus.
O calor da manhã, o frio da noite.
Não exite em olhar. Não deixe nada escapar.

Há muito mais ao teu redor.
Não há nada que não possa ver. Basta querer ver.

O céu de todo dia, a gota de chuva de cada dia.
A folha verde da árvore negra, o prédio branco do outro lado da rua.
A formiga que tenta subir. Com trabalho volta a descer.
O voar de alguém que não se cansa,
até encontrar o que se pretende alcançar.

O mundo numa pequena tela particular.
Seja escuro, azul ou verde.
É capaz de fazer sorrir, mas também de fazer chorar.

Não exite em olhar.
O mundo quer apenas te mostrar.
Basta querer ver.

Num momento entendi,
Que posso perceber.
Muito mais.
Além do que se vê.
Jones Barreto

Visitantes Online