segunda-feira, 13 de junho de 2011

"Ensinamento"


Há dias algo me faz sentir algo diferente. 
Desde pequenos vamos sendo "moldados", instruídos e aos poucos vamos aprendendo o que se deve e o que não se deve fazer. Ao longo da vida passamos por várias fases. Dentre elas, a escola. Vamos aprendendo, descobrindo e experenciando costumes, cultura, modos de agir, de nos comportar. A escola nos prepara, hoje, para a competição, para a qualificação a qualquer preço. O mundo pautado no dinheiro impõe desafios, sofrimentos, individualismo. Somos introduzidos na lei. Ou melhor, nas leis. Nas leis que nos coloca algemas, camisas de força ou mesmo nos deixa soltos, sem saber para aonde ir. Então, elas novamente nos prende.
Valorizam o conhecimento, os estudos, a tecnologia, o currículo, o QI...
Crianças cada vez mais se "entopem" de tarefas extras, cursos de línguas, cursos de computação e por assim vai...
Assim, o mundo faz com que nós passamos a engolir a nós mesmos. Ele é cruel. Ele deseja o melhor em saber, em conhecer.

Passamos pela escola, pela faculdade, pela pós-graduação, pelo mestrado e assim vamos nos qualificando até sermos os bam bam bans...
Vamos nos afastando de nós mesmos. Mas, vamos nos afastando dos outros. Das pessoas que passam por nós, da nossa família.
Não quero dizer que isso não deva ter ou acontecer. É preciso, é necessário. Mas...
Talvez, esquecemos que pessoas estão ao nosso lado, pedindo um pouco de afeto, um pouco de carinho, um pouco do nosso tempo "tão corrido", como assim dizemos. Não escutamos amigos que nos chamam para sair, para conversar, para contar um caso, pra contar da vida...
Talvez, esquecemos que alguém precisa apenas de um tempinho nosso.
Um abraço, uma conversa, uma piada...
O que quero dizer...é que aprendi algo depois de anos e anos de vida, apesar de novo.
Já escrevi uma vez, mas escreverei de novo, pois, acredito muito no que quero passar.

 Ensinamento
"Minha mãe me disse um dia que os estudos eram a coisa mais "fina" do mundo .
Não. Não é.
A coisa mais "fina" do mundo é o sentimento.

 ..
Aquele dia de noite, o pai fazendo serão,
Ela falou comigo:
- "Coitado, até essa hora no servo pesado".
 
Arrumou pão e café , deixou tacho no fogo com água quente.
Ela não me falou em amor.
Essa palavra de luxo.
"

(Adélia Prado)
(...)

Um comentário:

нєllєи Cαяoliиє disse...

Que lindo pensar de Adélia!
e a vida é um eterno aprendizado mesmo,que esta nos prepare sempre aprendizados ótimos para levar aos fios dos dias.
Um beijo,uma ótima semana pra ti,Jonas!

Visitantes Online